"SE NÃO MORRERMOS BOMBARDEADOS PELAS CONSTANTES MENTIRAS DOS MEDIA, VAMOS MORRER NA IGNORÂNCIA DOS QUE OS ALIMENTAM".

segunda-feira, setembro 28, 2015

"Risco de recaída"! Outra vez?

Portugal em “risco de recaída”, diz o Morgan Stanley.
Como no passado, as reformas podem não chegar à "massa crítica", avisa o Morgan Stanley numa nota de antecipação das eleições nacionais, em que lança críticas aos partidos da coligação e ao PS.
Observador 28/09/2015


Não será difícil prever que ainda vamos todos engolir de um trago sem pestanejar o que tanto mal dissemos dos Gregos e do desprezo que lhes atirámos pela situação que infelizmente tiveram de atravessar e que simultaneamente serviu de gáudio a uns quantos girinos acefalados e mal falantes cá do rectângulo da treta e que só atingem algum ténue orgasmo com a desgraça alheia.

É isso que infelizmente nos espera, seja qual for a canalha do habitual e maldito "arco governativo" que a partir de 4/10/15 desgraçar ainda mais a nossa vida nos próximos quatro anos neste País improváve de opereta barata e rasca!

Talvez seja conveniente lembrar a essa "gente" que hoje, mau grado as minas e armadilhas que lhes põem no caminho, a Grécia cresce economicamente mais depressa do que esta tristeza de terra onde na política só abundam canalhas, más línguas e maltosa que só devia ter direito à vida se pagasse e bem para tal.

quarta-feira, setembro 23, 2015

Embora me custe dize-lo, preferia ficar só!

O verdadeiro plano europeu para os refugiados.
É costume culpar o Ocidente por tudo e por nada do que acontece no mundo. Mas desta vez, na crise dos refugiados, a culpa é mesmo dos governos ocidentais. E o plano europeu não vai funcionar.
Observador 23/09/2015


Depois de ter lido este artigo e ter lido todo os comentários que antecederam o meu, verifiquei que enquanto uns terão defendido a intervenção e desestabilização Ocidental, neste caso Europeia, em países como a Líbia, Síria e o Iraque, outros, onde eu me incluo, facilmente chegaram à conclusão que foram intervenções desastradas, onde se realçam os miseráveis resultados que já começaram a dar os seus nefastos efeitos no nosso Continente.

Mas entre outras tantas contradições europeias que me inibo de aqui descrever, porque infelizmente tenho a certeza que nunca mais parava de o fazer, pergunto como é que se quer manter à escala continental uma Comunidade Europeia de enorme diversificação linguística (talvez o problema menor), pontos de vista antagónicos, evidentes e naturais nacionalismos, divergências económicas e de todas as espécies, produção de riqueza para uns talvez mais louros versus criação de pobreza para outros talvez mais “queimados”, centralização dos poderes de decisão num virtual politburo etéreo e stalinisticamente cinzento como o de Bruxelas em detrimento dos poderes nacionais, etc, etc?

Sinceramente que jamais poderíamos almejar a uma verdadeira UE, como aquela que em tempos foi delineada e não esta que se transformou e nos transformou numa amálgama sem sentido, sem matéria e cujo rumo concreto tem sido unicamente o aumento imerecido do poder de dois ou três países da dita Comunidade.

No meio de toda esta hecatombe social, económica e política que se avizinha para os Europeus, só de pensar nos cinzentos dias que se nos deparam já aqui ao lado, apavora-me.

Com sinceridade e com muita mágoa vos digo que preferia ficar sozinho.

domingo, setembro 20, 2015

K´azia meus queridos deuses e demónios!


Eleições na Grécia aterram na campanha. PS sem medo, coligação usa trunfo.
Observador 20/09/2015



Dá-lhes mais uma vez porque pelos vistos as duas anteriores não chegaram Tsipras!

Só espero que após esta vitória, a terceira, do Syriza, fique bem claro para aqueles que nos gostam de ver na escuridão da austeridade, rodeados pelas imbecilidades destes governantes cá do burgo e acima de tudo, vergonhosa e anti democraticamente pressionados por uma Comunidade em degradação acelerada, que no dia 4 de Outubro tenhamos a hipótese, de tal como eles, respirar ar puro.

Vá lá, agora vão esgotar os Alka Seltzer todos à Farmácia.

quarta-feira, setembro 16, 2015

‘West crying for refugees with one eye, aiming gun with the other’

‘West crying for refugees with one eye, aiming gun with the other’ – Assad (FULL INTERVIEW).
In a rare interview with Russian media outlets, RT among them, Syrian leader Bashar Assad spoke about global and domestic terrorism threats, the need for a united front against jihadism, Western propaganda about the refugee crisis and ways to bring peace to his war-torn nation.
RT 16/09/2015


How long we had knowledge of this reality?

How many times many people warned that the destruction of governments in Libya, Syria, Yeman and so on, based pn the hypocritical image of imposing a "democratic" government, would be a perfect bluf and a monumental error?

How long was necessary to show to the West, guilty of all the doom that is happening in Syria, Libya and Iraq and now within its own borders with the entry of refugees, which should stop their usual hypocrisy and take action against ISIS terrorism?


The Assad´s phrase ‘West crying for refugees with one eye, aiming gun with the other’ says it all.
In the midst of Syria destruction, after 4 years of war and hundreds of thousands of victims, the West can not or do not want to see that has no right to enforce or impose laws outside their own space.

The bill is being delivered and the payment will be made with very high interest rates to the Europeans.



França “não hesitará” em restabelecer o controlo na fronteira

França “não hesitará” em restabelecer o controlo na fronteira.
"Alguns de nós dizem: 'é necessário fechar tudo'. Dizer isso significa fechar os olhos aos refugiados que morrem à nossa porta", disse Manuel Valls. Por outro lado, "abrir tudo" também não é solução.
Observador 16/09/2015

Vão acabar todos por controlar as fronteiras.
É tudo questão de tempo e de se começarem a detectar atitudes de agressividade de um lado ou de outro.

Não há milagres nem hipocrisias jornalísticas imbecis ou idiotas que nos levem a aceitar que toda esta gente dita migrante, onde seguramente e pelos exemplos que se vêem nas TV´s, circulam seres pouco aconselháveis, têm possibilidade de serem recebidos à ganância, numa Europa em perfeito declínio económico, moral e social.

Ninguém quer ver a realidade, porque anda tudo cego e alienado com o terrorismo informativo dos media.

quinta-feira, setembro 10, 2015

Os nossos "queridos" palhaços que nos adormecem!


Sem querer fazer futurologia porque nem engulo tretas dessas, não será difícil de admitir que daqui a vinte cinco, trinta anos, estaremos numa sociedade Europeia a entrar "suavemente" na islamização, goste-se ou não dela.

Nem precisarão de se impor pela pela força das armas.
Serão tal como hoje aceites com naturalidade e seremos todos nós, ateus, cristãos, judeus, budistas, taoistas, etc e tal, os diluídos da História da Humanidade.

No fim de contas foi assim que as tendências Universais de transferências de Povos, fugidos das grandes fomes e guerras, se espalharam pelos continentes. Não foi só pela força das armas.

Não há volta a dar.

Seguramente que já cá não estarei para tal ver!

Mas no que me resta de vivência neste Mundo sei que hoje, a maior parte da culpa, cabe infelizmente ao Ocidente, à estupidez e maldade dos seus canalhas e malditos gurus políticos em se terem metido onde nunca deviam.

A factura a passar, como em todos os casos é sempre pesada.
E no entanto continuaremos a preocupar-nos com o futebol e com os nosso queridos palhaços!

Observador 10/09/2015

domingo, setembro 06, 2015

Simplesmente Joana

Joana Amaral Dias incomoda parceiro de coligação.
Cabeça de lista por Lisboa da coligação AGIR deixou-se fotografar despida para a capa da próxima edição da revista “Cristina”. Gil Garcia do Movimento Alternativa Socialista revela-se incomodado
Expresso 6/09/2015


Booooooooooooaaaaaaaaaaaaaa todos os dias, gira, bonita e doce de cair para o lado, atrevida quanto chegue até fazer corar o mais alarve chico esperto tuga (e há muitos por cá) e acima de tudo inteligente, raridade no mundo feminino cá no nosso burgo Lusitano!

Ora aqui está um conjunto alargado e bem generoso de características que Joana possui e pouco usual no meio feminino aqui no rectângulo da crise constante.

Mais houvessem, Portugal só teria a ganhar.
Mas não! Infelizmente há é muita dor de cotovelo!

"Trocar de ideias"

Vamos lá trocar umas ideias sobre o assunto.
Observador 06/09/2015


Embora sinta um certo paladar a envinagrado no palato, e não sei se alguma azia temporária, vou aceitar e concordar, porque o sinto realmente, com este texto de Helena Matos no Observador de 6/9/2015.

Enfim.
Há total realismo nas conclusões que HM aqui explana.
Fruto de épocas vividas e sofridas? Talvez!

Entre todo o tema que aconselho a ler até ao fim, retiro apenas, com a devida vénia esta dúvida; porque razão os riquíssimos estados Árabes do Golfo não representam uma alternativa aos refugiados Sírios, Yemenitas, Iraquianos, Somalis ou Palestinianos?

sábado, setembro 05, 2015

Impressionante

Impressionante


Percebe-se qual a razão de nenhum País da UE e os EUA não terem comparecido ao 70 aniversário da Grande Tareia aos Japs na WWII!
Assustaram-se!

Por cá (Ocidente) já se teve tempo de acreditar que perante esta espectacular organização e com base numa economia a crescer menos do que o habitual, mas a afastar-se a olhos visto do nosso vergonhoso crescimento na Europa e nos EUA, não vamos lá. Não há hipótese!

Como escrevi num post anterior, nem necessitam de fazer grande propaganda do que fazem

Engraçado mas significativo foi o facto de haver muito pouca informação sobre este evento nos nossos "inteligentes" media Ocidentais!
Compreende-se; quando o dono fala e ordena, há apenas que abanar a cauda e lamber-lhe as mãos!

A dor de Portugal

Dói-me Portugal
Não é este o meu Portugal. Não lhes tenho respeito. Uns fazem por si, outros fazem pelos outros.
Público 05/09/2015


Creio bem que nos aproximamos a "passos" largos de um Portugal mais sinistro, cinzento, servil, intolerante, trauliteiro e profundamente ignorante.

Não estarei muitas vezes de acordo com o que este senhor diz ou escreve, mas tenho de admitir que na generalidade (para não dizer sempre, tal a estupidez militante dos seus oponentes) ele vê, lê, diz e sente mais a dormir que a maioria dos girinos acéfalos que por aí andam enfolados, a convencer o pagode que isto é um País bestial.

Excelente este texto de José Pacheco Pereira.

quarta-feira, setembro 02, 2015

A imbecilidade e hipocrisia do "jornalismo" de hoje!

Serão estas imagens capazes de acordar a Europa?
Duas fotografias, tiradas esta quarta-feira de manhã, mostram um menino sírio sem vida à beira-mar. É o retrato da dura realidade que afeta os milhares de refugiados que tentam chegar à Europa.
Observador 02/09/2015


Acordar a Europa?
Que título mais hipócrita!
Nem o Observador foge à mediocridade jornalística militante dos nossos dias.

Erradamente quererem-nos convencer de que abrindo as portas desta Europa, em rápido declínio, aos milhões de desgraçados por este Mundo fora, se vai resolver a situação da pobreza e das guerras neste Mundo.

Esta gente não consegue ou não quer explicar porque Países como a Síria, a Líbia, o Iraque, o Yemen, a Eritreia, a Somália e tantos outros foram destruídos e entregues de mão beijada a bandos de assassinos, criando uma chaga moral deixada pelos cães de guerra que o Ocidente tem mantido na sombra ao longo do tempo!

Talvez tenham a consciência bem pesada por esse facto.

Só que muitos de nós jamais quererá pagar uma factura para a qual não contribuiu.

Enganem quem quiserem, ponham abusivamente e sem escrúpulos fotografias de desgraçados a morrer à beira das praias espanholas, gregas ou italianas para impressionar as pessoas, digam frases cheias de doçura hipócrita só para sensibilizar os leitores, mas não nos tratem por tolos.

Assumam de uma vez que a imbecilidade está diariamente do vosso lado, não do nosso como leitores e que vos paga os ordenados.

Nem necessitam de mostrar o material!

Em 3 de setembro a China vai realizar a parada militar em comemoração do fim da Segunda Guerra Mundial mas não vai mostrar todas as suas armas modernas, opina especialista.
SputnikNews 02/09/2015


Nem necessitam de apresentar o material todo!

Seguros, cautelosos, inteligentes, perspicazes, laboriosos e muito pacientes, aliás como qualquer asiático, sabem que mais tarde ou mais cedo todo o Mundo lhes cairá nas mãos como maçã madura, onde eventuais partes podres ainda existentes serão facilmente retiráveis a golpes de, óh ironia das ironias, canivete suíço, made in China.

Esta não será a nossa esperança, será sim a nossa certeza!

Os canalhas deste mundo sempre se entenderam bem!

MUNDO CÃO – RASMUSSEN, NATO E “O TRABALHO DE DEUS” – por José Goulão.
do Blogg; A viagem dos Argonautas, 30/08/2015


Anders Fogh Rasmussen, o cão de serviço da “tropa divina” chamada NATO, dinamarquês sem pátria, senhor supremo do terrorismo imperialista, militar, político e financeiro, é agora consultor internacional da instituição financeira norte-americana Goldman Sachs, uma das responsáveis pela crise que explodiu em 2008 e que, como é sabido, aldrabou as contas sobre a dívida soberana grega apresentadas à União Europeia, embolsando, como compensação, grossas luvas de dinheiro.
Os canalhas deste mundo sempre se entenderam bem!