"SE NÃO MORRERMOS BOMBARDEADOS PELAS CONSTANTES MENTIRAS DOS MEDIA, VAMOS MORRER NA IGNORÂNCIA DOS QUE OS ALIMENTAM".

sexta-feira, abril 24, 2015

Aberrações de gente aberrante!

Liberdade é liberdade, e quando se tenta controlá-la de forma administrativa, quem acaba a perder é a igualdade e a equidade. Sendo isso ignorado na casa da democracia, surgem aberrações como esta lei.
Observador 24/04/2015

Nunca veria com bons olhos a existência de uma organização reguladora das empresas de media responsáveis por nos informarem o que se passa no Mundo e como devem gerir os seus tempos neste ou naquele evento, sejam eles relacionados com actos eleitorais (como é o caso de Portugal) ou outros quaisquer. Voltar ao "exame prévio" só para atrazados mentais que ultimamente têm aparecido nesta terra improvável e parva.

Mas uma coisa é certa; estou farto de ser deliberadamente e tendencialmente "pressionado" a aceitar aquilo que me querem vender ou enfiar pelos olhos como notícia ou posição "indiscutível" ou como agora uns palradores e imbecis do meu País chamam de "sem alternativa".

Não gosto de jornalistas, comentadeiros ou fauna semelhante.
Isso sempre o disse aqui e nas redes sociais onde alinho.
Está assumido!

Mas há que deixá-los e dar-lhes liberdade para continuarem a alarvar como o fazem nos jornais diários, televisões e outros meios de demência colectiva em que se tornaram os meios de comunicação social em Portugal, para que os chame à minha vontade de filhos disto e daquilo, que os mande com enorme alegria para o quinto de todos os infernos e acima de tudo que alimentem o meu particular ódio a tal classe que se diz de 4º poder nacional, não eleito por ninguém, mas de que se arrogantemente se reclamam.

Assim sendo, esta ideia peregrina do PS, PSD e CDS criarem uns "gurus" para controlarem o que aquela gente diz, bolça ou vomita, torna-se uma colossal asneira e de quem não deve ter mais nada com que se preocupar neste País de opereta barata.

Aberrações de gente aberrante e estúpida, diria eu! Vá lá deixem-se de merdas.

Sem comentários: