"SE NÃO MORRERMOS BOMBARDEADOS PELAS CONSTANTES MENTIRAS DOS MEDIA, VAMOS MORRER NA IGNORÂNCIA DOS QUE OS ALIMENTAM".

segunda-feira, janeiro 27, 2014

Síria, mais uma vez!


“Se não morrermos dos bombardeamentos ou dos snipers, vamos morrer de fome ou de frio”
Em Homs ainda se morre de fome com a ajuda pronta para entrar. Em Genebra, o dia foi de impasse total nas negociações entre regime sírio e oposição.
Público 26/01/2014


"SE NÃO MORRERMOS BOMBARDEADOS PELAS CONSTANTES MENTIRAS, VAMOS MORRER NA IGNORANCIA DOS QUE A ALIMENTAM"

Sofia Lorena continua a sua campanha de apoio vergonhoso e infame aos terroristas árabes (Al Ghaeda) e europeus (assassinos, criminosos, mercenários) que destroem a Síria.

Continua sem um pingo de vergonha e princípio moral em atacar, como se tivesse alguma vez vivido na Síria e conhecesse aquela realidade, o Governo de Bashar al Assad, que não sendo uma perfeição é infinitamente melhor que os criminosos tão idolatrados por esta senhora.

Provavelmente a cegueira, provocada sabe-se lá porque razão escondida, não a deixa ver além da fronteira Turca, onde cobardemente se esconde e é livre de escrever as imbecilidades que há tanto tempo publica no Público sobre este assunto.

Syria talks focus on evacuation of Homs: Brahimi
PressTV 26/01/2014


Lavrov says ‘no talks with Islamist militants in Syria’
“Militants are flowing like communicating vessels between the Islamic Front, Javhat al-Nusra, the Islamic State of Iraq and the Levant - they go to where more money is paid," Lavrov said.

"It is important that political process would be accompanied with a union of sound forces, which think about their homeland, but not about creation of a Halifat in the Middle East or North Africa in order to unite them in different ways and help them combat terrorism,"

RT 26/01/2014


Key al-Qaida militant reportedly killed in Syria
Washington Post 25/01/2014


Syria talks bring offer of exit from siege of Homs
China Daily 27/01/2014


How a freedom-fighting pharmacist showed me the complex truth about Syria's sectarian conflict.
The Guardian 26/01/2014
"If I were to generalise I would say the middle class and upper class don't want the rebels. They want everything to be how it was,"

Sem comentários: