"SE NÃO MORRERMOS BOMBARDEADOS PELAS CONSTANTES MENTIRAS DOS MEDIA, VAMOS MORRER NA IGNORÂNCIA DOS QUE OS ALIMENTAM".

quinta-feira, junho 04, 2009

Lá começam "eles"



Hillary Clinton pediu publicação do nome de mortos, desaparecidos e detidos
China indignada com apelo norte-americano sobre os mortos de Tiananmen


As autoridades chinesas expressaram hoje “profundo descontentamento” sobre o apelo lançado na véspera pela secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, que instou à publicação dos nomes de todas as pessoas mortas, desaparecidas ou detidas na repressão das manifestações pró-democracia de 1989, na Praça de Tiananmen, há exactamente 20 anos.


Aí está outra vez o cinismo a impor sistemas de opinião controlada e de respeitabilidade muito pouco recomendável.

Lá começam “eles” outra vez a meterem o nariz e a chafurdar na vida dos outros como se tivessem direito a dar ordens em casa alheia!

No momento que se enfrentam os desafios perigosos da Coreia do Norte e que poderão ser controlados pela RP da China, tudo aquilo que sejam tentativas de provocação contra este País, ainda por cima baseados em factos havidas há 20 anos (3 para 4 de Junho de 1989) transformar-se-á seguramente num boomerang contra o Ocidente.
O costume!
Pelos vistos não se consegue aprender mesmo nada.

1 comentário:

Dylan disse...

"Lembrar Tiananmen"

Quando passam 20 anos sobre o massacre de Tiananmen, a China ainda não se libertou dos grilhões maoístas. Pior do que isso, silencia todo e qualquer movimento que vise celebrar a Primavera de 1989, ao ponto de, gerações nascidas após essa data, não saberem o que realmente aconteceu em Pequim. Travestidos de socialistas modernos, o Governo controla minuciosamente a população através do Partido, aliando-se a políticas repressivas que vão desde campos de trabalho forçados a execuções públicas. Não existe liberdade de expressão nem liberdade sindical e os meios de comunicação social estão subjugados. Por mais operações de cosmética que protagonizem, onde os Jogos Olímpicos de 2008 foram o expoente máximo, jamais se libertarão do totalitarismo nacionalista instigador do medo que nem todos os países têm coragem de denunciar mas que um dia a História tratar-se-á de reparar.

http://dylans.blogs.sapo.pt/