"SE NÃO MORRERMOS BOMBARDEADOS PELAS CONSTANTES MENTIRAS DOS MEDIA, VAMOS MORRER NA IGNORÂNCIA DOS QUE OS ALIMENTAM".

terça-feira, julho 31, 2007

INGMAR BERGMAN

Com a morte de Ingmar Bergman fecha-se um ciclo de cinema que só alguns compreenderam.



Baseado na psicologia das relações humanas, tinha de passar ao lado da maioria dos mortais, tal o sentido da condição humana que ele próprio andou toda a vida a procurar.
Desistiu. E quem não desiste perante o caos que nos rodeia?
Morreu como sempre desejou, numa pequena ilha do Báltico onde levava uma vida tipicamente sueca.
Já em vida planeou o seu testamento em filme a não perder (como se alguma vez devêssemos perder um filme dele); Saraband.

segunda-feira, julho 30, 2007

Pronto, hoje deu-me para isto!!

Construir algo, no sentido lato do termo, demora-se um tempo dos diabos, considerando que um tempo dos diabos é longo, muito longo.
Para destruir o resultado obtido por esse tempo muito longo bastam microsegundos, mesmo que esse algo tenha sido criado com todo o nosso amor, carinho e dedicação.
Aqui está como um estúpido reclame de um vidente anormal (ver mensagem anterior), ou um cartaz de um cantor de meia tijela tipo Tony Carreira popularucho, ou a construção, por parte de um pato bravo, de um mamarracho sobre um curso de água ou ainda outras situações que "o meu Povo tanto gosta", podem muitas vezes dar uma ideia errada e esconder o que de bem se faz neste país tão desprezado pela maioria dos seus filhos!



E tudo isto porque, confirmando o que já se esperava, hoje vim a saber, através da nossa prestimosa imprensa que graças a uma inteligente e dedicada liderança, a nossa EFACEC já é uma autêntica multinacional da tecnologia de ponta no que concerne á produção, gestão e fornecimento de tecnologia no ramo das energias eléctricas, enfrentando gigantes mundiais como a Siemens, a ABB, ou a Schneider.
Conheço bem a EFACEC e sempre a admirei ao longo da minha vida profissional.



Mas como não há uma sem duas, pasmei com o facto de saber que alunos Portugueses foram distinguidos nas Olimpíadas Internacionais de Matemática em Hanoi com 58 pontos(duas medalhas de broze e uma de menção honrosa), à frente de diversos países como a Irlanda, a Dinamarca, a França etc, e imaginem, a Espanha.
HÁ COISAS FANTÁSTICAS, NÃO HÁ?????????????




Só estas notícias me fizeram esquecer a triste figura que o Ganda Noia (Marques Mendes) andou a fazer na Madeira (simplesmente enxovalhado e ridicularizado) que o Jardim continua a gozar conosco e a fazer o que bem quer e lhe apetece, que o folhetim do BCP só acabará quando for comprado por um Banco estrangeiro (cheira-me que é disso que estão à espera), que a Helena de Matos (jornalista)continua com as suas crónicas "badalhocas" no Público (também com um director de jornal daqueles.....), etc, etc, etc.



Já agora só mais uma coisa: aqui vão os meus sentimentos de compreensão e tolerância pelo facto de o Benfica ter perdido no Egipto com o Al-Ahly. Compreensão pelo facto de estarem no início da época e com aquelas cores de camisola (rosinhas) não assustarem ninguem (sempre quero ver se eles têm coragem de entrar assim vestidos nas Antas).
Tolerância pelo facto de terem sido derrotados pelo vencedor da Taça Africana (equivalente à Taça da Europa). Há que medir as devidas distâncias. Compreenderam???

domingo, julho 29, 2007

O que o meu Povo gosta

Eu nem queria acreditar quando vi isto na minha caixa de correio.

"Com plenos poderes para tratar e resolver rapidamente todos os seus problemas tais como;.....", blá, blá, blá,..............




Ena pá. Desde vícios diversos a impotências sexuais, afastar rivais, atrair clientes, etc, etc, faz-se de tudo.
Como é que existe quem embarque nisto!
É disto que o meu povo gosta!
Qual défice, qual relançamento da economia, qual desenvolvimento tecnológico, qual carapuça!

Por favor, tirem-me daqui!!!!!!!!!!

Era de esperar

EUA vendem 20 mil milhões de dólares de armas a Israel para conter o Irão (in Publico de 29/07/07)





Era de esperar. A pirataria e o crime seguem o seu caminho normal enquanto a Comunidade Europeia olha para o lado e assobia para o ar.
Para não sujarem as mãos em mais um crime contra a Humanidade, nada como se pagar o serviço sujo a quem o sabe fazer na perfeição; os sionistas, Israel.
Quando não é capaz, é assim que a Administração Americana funciona.
Aliás, desde que me conheço sempre funcionou assim.

Um dia a Humanidade talvez se arrependa de ter dado ouvidos a um lobo que se vestiu de cordeiro. Oxalá não seja tarde!

segunda-feira, julho 23, 2007

La fe

Zapatero advierte a la Iglesia: «Ninguna fe se puede imponer a las leyes en una democracia».




É bom que por cá se pense do mesmo modo para não embarcarmos em futuras inquisições disfarçadas de McHostias.

Como se pode ver, de Espanha sempre vieram bons ventos e bons casamentos!
Cordiales Saludos

Damavand

Alguem um dia disse que "nunca mais voltar torna a vida mais doce".




Liberto e avesso que sou ao princípio que estamos sempre ligados à terra que nos viu nascer, contrário aos princípios e sentimentos nacionalista e patrióticos(sempre me disseram muito pouco ou nada), existem locais longínquos que após os ter visto, uma só vez que tenha sido, persistem em adoçar a minha memória, enlaçando-me como forças magnéticas até nos meus sonhos mesmo quando acordado.
Não. Não posso aceitar nem acreditar que alguem no seu juízo perfeito possa dizer que "nunca mais voltar torna a vida mais doce".
Então é porque não gostou, não viu nada ou é tolo (...e talvez por isso não me lembre do nome do "intelectual" que disse essa máxima).



Quanto eu gostaria de voltar a Damavand!

quarta-feira, julho 18, 2007

Turanj




Turanj é uma pequena aldeia a uns sessenta ou setenta quilómetros a ocidente de Zagreb, a capital da Croácia.



Foi entre esta pequena Turanj e Karlovack que as forças rebeldes croatas conseguiram suster o exército Yugoslavio, na altura constituido por forças conjuntas da Sérvia, Montenegro e até Bósnias que se opunham à independência da Croácia. Custou a vida a milhares de pessoas, de ambos os lados. Não tomo partido por nenhum deles; sempre gostei da Yugoslávia como era, no tempo de Tito.






Por alguma razão o seu retrato ainda hoje se vê nos salões nobres de diversos edifícios quer sejam em Zagreb (Croácia), Belgrado (Sérvia), Ljubliana (Eslovenia) ou Skopjie (Macedónia).



Dado que as coisas nunca acontecem por acaso, a destruição de um País foi previamente programada a contento de algumas potências da civilizadíssima Europa Ocidental, aliás a partir de vizinhos conhecidos e poderosos.

Acicatando étnias presumivelmente diferentes, a destruição da Yugoslávia foi admitida e de algum modo encorajada pelo Ocidente com base "no estrito respeito pelos direitos humanos" e contra a terrífica (e imaginária) ideia de que se estaria a tentar criar uma Grande Sérvia!



Por aquilo que vi, as feridas são profundas e dolorosas. Existe uma férrea vontade de esquecer e dar largas ao desenvolvimento económico nas novas republicas, mas existe uma profunda sensação, sejam eles croatas, eslovenos, sérvios ou bósnios de um vazio angustiante e que algo, alimentado por fora das suas fronteiras, os lançou e utilizou numa guerra fratricida cujas feridas vão ser penosas de exorcisar.

Resposta na ponta da lìngua

"É assim que se credibiliza a política. Aquilo que está na minha cabeça é a Câmara do Porto”.




....resposta directa e sem pestanejar, como é seu apanágio, de Rui Rio à pergunta “se estaria neste momento nas condições de concorrer à liderança do PSD”.
Obviamente que depois de todos os tipos de enxovalhos que tem sofrido vindos do interior dum PSD moribundo (seu partido), de uma comunicação social necrófaga e da seráfica “populaça” – não confundir com Povo - a única resposta possível foi esta: não existe razão excepcional.
E isto para não os mandar “abaixo de Braga”.
Os de terceira ou quarta escolha do partido que se digladiem e se devorem à vontade.
Não fazem cá falta nenhuma! E também como está, o partido não irá a lugar nenhum.
Sócrates; governa à vontade e a teu belo prazer!! Tens mais que tempo!

domingo, julho 15, 2007

Sem papas na língua



O Homem no seu melhor. Polémico e frontal como de costume. Coerente com os seus pontos de vista, quer se goste ou não, sem papas na língua e com suficiente à vontade para chamar, como o fez mais uma vez, os bois, as bestas e os figurões pelos seus próprios nomes.
Diga-se o que se disser o homem tem coragem, segurança e perfeito conhecimento daquilo que pensa e diz, num País habituado a pensar e a agir pela cabeça de atrasados mentais, a pensar e a agir com o estômago e/ou com o depósito de gasolina (ou diesel consoante a inteligência carburante) e entregue a meia dúzia de famílias abastadas cujos poderes económicos lhes dão a possibilidade de à distância mexerem os cordelinhos de um povo que há muito passou a um estado pastoso de existência febril e vegetativa.



Chama-se José Saramago e atirou mais um cocktail molotov (adoro estes cocktails) para a fogueira que tarda em acordar este País atávico e negligente.
Pode-se e deve-se discutir uma eventual hipótese de inclusão de Portugal numa denominada Ibéria. Não é crime nenhum e ao longo da nossa história essa hípótese já foi amplamente evidenciada. Aliás sempre pairou nas nossas cabeças e nos momentos mais críticos da nossa existência esse nome como grande nação de línguas e costumes comuns.
Mas sejamos realistas; com os problemas internos que Madrid tenta solucionar, com os políticos idiotas que vegetam cá no Lusitano burgo, com os problemas estruturais e económicos que abundam ao nosso redor, com a pouca vontade que se nota em NÃO alterar o status quo deste rectângulo tão mal governado, duvido que "nuestros hermanos" acedessem a apoiar uma união política de facto.
Nessa asneira seguramente eles não iriam cair!

sexta-feira, julho 13, 2007

Laleh, Persian lady

From Sweden one sweet Iranian voice and one beautifull song: Laleh

quinta-feira, julho 12, 2007

Semelhanças naturais



É em tudo semelhante ao pai; na doçura e tolerância, na sinceridade, amiga de seu amigo, na teimosia, na provocação, na aversão fatal à estupidez, no gosto e procura pela novidade, na necessidade pelo conhecimento, no estudo de culturas e línguas bem diferentes do normal, enfim é a filha de seu pai.
Mas é benfiquista o que, para MOI representa um handicap. Tolera sobranceiramente os leõezinhos como se de estimação fossem.
Não está nada virada para dragões.
Enfim, como em tudo na vida não há bela sem senão.

quarta-feira, julho 11, 2007

Comunicação Social e a ERC

"Discordo daquilo que dizes, mas defenderei até à morte o teu direito de o dizeres." Voltaire



A ninguém neste País depois do 25 de Abril lhe passa pela cabeça, seja de que modo for que se restrinjam as liberdades de imprensa, que se a domestique, que se a controle ou que se a domine.
Mas algo tem havido que contribuiu para que os fantasmas do passado voguem novamente por cima das nossas cabeças; a irresponsabilidade de muitos e……… incluso da comunicação social.
Sabemos todos o poder que os meios de comunicação possuem. É realmente grande. Um poder não eleito e não reconhecido pelo povo (mas que se arvora como tal).
Um poder quase que ilegal, direi eu.
Assim e dado que muitas vezes escrevemos e afirmamos o que nos vem na real gana sem bases concretas ou com fins menos transparentes, eis que foi criada uma Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) para combater o que há muito se esperava vir a ser combatido; a falta de ética profissional e a irresponsabilidade de quem muitas vezes através dos jornais ou das TV´s não aceita que como em tudo na vida haja limites e bom senso. Não pode ser tudo à vara larga.
Escreve-se no editorial do Público de 11 de Julho de 2007 que com esta nova ERC “o cerco se aperta em torno da liberdade (?) de imprensa”. Aqui está um exemplo de como, com descrições alarmantes e alguma maldade, se pode e se tem vindo a enganar quem lê e quem vê.
O que está em causa é a Lei do Direito de Resposta e a obrigatoriedade de toda a comunicação social reconhecer e aceitar quando “mete o pé na argola”, reconhecer e aceitar o direito de resposta ou a rectificação de qualquer notícia que lese a dignidade e o bom nome de qualquer cidadão ou organização que se sinta atingida e ofendida perante notícias polémicas que muitas das vezes são declaradamente falsas, propositadamente alarmantes, maldosas e passíveis de poder envenenar o “ambiente”.

Leio o Público há muitos anos, desde o primeiro número. Como se afirma no mesmo Editorial tem uma rubrica diária “o Publico errou” que ocupa umas 10 linhas num canto de uma página que pode passar facilmente despercebida. Logo a notícia que agride algo ou alguem e que é passível de contestação pervalece e pervalecerá para todo o sempre. O ofendido ficará na penumbra igualmente para todo o sempre.

É esta situação injusta que necessita de alteração urgente. Caso contrário está-se a jogar com armas diferentes. É esta situação injusta que a Comunicação Social não pretende ver alterada porque não aceita, tal como em qualquer função profissional, que hajam regras.
E o jornal Público tem alinhado bastante para que não hajam essas regras.
Em abono da verdade a figura do seu director não é estranha a esse facto.
Porque nada acontece por acaso.

Drag Zagreb (Cidade de Zagreb)

Capital da Croácia. Cidade talhada ao estilo romântico austero, típico da Europa Central e Oriental que tanto me encanta. Bastante semelhante a algumas cidades alemãs ou a Praha, Viena, Bratislava. De encher o olho.






segunda-feira, julho 09, 2007

Dubrovnik

Dubrovnik é uma cidade pequena, mas enche as medidas do mundo. É o amor, a beleza e a eterna inspiração.










Disse o poeta Ivo Vojnovic: Será que o paraíso celeste virá a ser mais bonito que este meu paraíso que é Dubrovnik?

domingo, julho 08, 2007

Enfim! Há gostos para tudo!!




Não contesto o espectáculo de 7/7/2007 no estádio da Luz, nem quem o organizou. No fim de contas todos ou quase todos os organismos que valorizam a sério o que é ou o que deve ser uma Maravilha da Humanidade nem sequer interferiram e algumas demarcaram-se inclusive com alguma repulsa (ex. a UNESCO).
Na minha análise apenas vejo este evento como mais um espectáculo “festivaleiro” tipo Festival da Canção e que deu projecção a alguns “pretensos colunáveis” que de outra maneira não teriam direito a projecção mediática.
Se quanto às escolhas Nacionais não conteste muito por não se poder agradar a todos (gostaria de ver outros monumentos, mas……), quanto à escolha internacional no caso do Cristo Corcovado no Rio, só posso dizer que: devem estar a gozar com a cara da Dona Humanidade.
A única razão que vejo nesta infeliz escolha e sem sentido nenhum é puramente mercantil, de oportunidade barata ou então lá vamos novamente cair no pavoroso e odioso “politicamente correcto”.
Todas são Obras da Humanidade. Sem dúvida. Mas há Obras e obras e o C.C. para mim é uma interessante obra de engenharia. Chega!!

Memórias e Lembranças.....




As memórias são como um livro escondido no meio do pó.

As lembranças são como sorrisos que queremos lembrar, devagar, devagar, ……..

sábado, julho 07, 2007

Gulbenkian




E após aterrar neste rectângulo tão mal tratado, no meio de alguma descrença e a angústia do regresso não muito desejado, leio com alguma satisfação uma notícia sobre os novos Prémios Gulbenkian. Apenas cinco. Mas mais valiosos (os quatro primeiros no valor de € 50.000).
Foram directamente para Ângelo de Sousa, o artista completo, Maria do Carmo Fonseca e Luís Barreira, bióloga e matemático respectivamente, a Associação das Aldeias de Crianças SOS (já tardava) e o Centro de Arte e Comunicação Visual (Ar.Co).
Abençoado Gulbenkian. Nunca perceberei a escolha de Portugal para acabares os teus dias. Mas bem do fundo Obrigado por lançares com a tua obra filantropa alguma luz nesta penumbra triste que culturalmente nos rodeia.

Dobrye utrom HRVATSKA i SLOVENJIA









Herda-se a terra dos antepassados e cuida-se dela, especialmente se essas terras são, como é nos casos da Croácia e da Slovenjia, uma obra-prima do artista mais grandioso e prodigioso de todos os tempos: a Natureza, a doce Mãe Natureza.

Os meus olhos já muito viram nos continentes deste planeta, mas não perdoo-o a mim próprio ter passado tanto tempo da minha vida sem ter conhecido algo onde Deus durante a criação da Natureza deve ter descansado para apreciar a sua obra.

Não tenho palavras para transmitir a intensidade dos atónitos momentos em que quase me prostrei maravilhado perante o que os meus olhos viram; Plitvitci, Krk, Bled (na Slovenjia), Istria, toda a Riviera Croata (Opatjia e Rjieka) até à pérola mais preciosa que se chama Dubrovnik.

Por favor não deixem passar o tempo sem terem tempo de visitarem estas duas Repúblicas daquilo que se chamou um dia a orgulhosa Federação Yugoslava.
Nas fotos seguintes fica a ínfima parte de um tributo da minha admiração por algo que só muito tardiamente visitei. Devo ter andado distraído por outras razões de menor interesse.


terça-feira, julho 03, 2007

Harvstka: Linda Croacia

Estou na Croacia desde o dia 27 de Junho. Desculpem nao actualizar o blog, mas depois tenho lindas surpresas para todos vos.
Saudačoes