"SE NÃO MORRERMOS BOMBARDEADOS PELAS CONSTANTES MENTIRAS DOS MEDIA, VAMOS MORRER NA IGNORÂNCIA DOS QUE OS ALIMENTAM".

quarta-feira, janeiro 17, 2007

Pesadelo



Hoje é 17 de Janeiro de 2007. Daqui a um ano, falamos. Se calhar nem será necessário tanto tempo.

Imagino que a ida de mais 20.000 militares americanos para o Iraque, não representa mais do que utilizar aquela terra de ninguem mas somente do inferno, como uma plataforma de agressão à Republica Islâmica do Irão (as provocações já começaram).

Estou só a imaginar!

O Iraque é terra queimada, os poços de petróleo estão controlados, a confusão e o crime reinam à boa maneira do Far West, os rambos passeiam-se sempre que podem nas avenidas de Bagdad dando aos jornalistas a ideia que controlam alguma coisa.

As milícias iraquianas de facções contrárias degladiam-se num banho de sangue e num extase de destruição nunca visto.

Tipicamente um cenário de Apocalipse Now de Francis Copola.

Tipicamente americano.

Tipicamente de criminosos sem carácter.




Por trás deste cenário dantesco, os sionistas que se encontram na ténue linha que separa a sua (deles) destruição como país e a obrigação de atacar para sobreviver, planeiam um ataque surpresa às centrais nucleares Iranianas. O chamado o trabalho sujo.

Alguem tem de o fazer e melhor do que eles não existe seguramente mais ninguem. Mataram Cristo, so what?


Mas lá atrás estão já bem colocados os 20.000 da Cavalaria para dar uma mãozinha. Logística, dirá o pai de todos os males.

Não vá o Diabo tecê-las e os Iranianos responderem na mesma moeda desintegrando Tel Aviv. Ainda por cima com a prestimosa ajuda dos sofisticados armamentos fornecidos por Putin (abençoado que nunca se deixou levar pelos Mc Donalds).

Como se tudo isto não bastasse, o armamento a utilizar por parte dos agressores do mundo ocidental é de estalo; nuclear, profundo, inteligente, limpo e sem dor.

Só espero, anseio e desejo bem do fundo do meu ser, com o peso dos meus 58 anos que a resposta do outro lado seja a mesma. Que nada sobre para ninguem e que essa calamidade a existir, elimine de uma vez toda esta merda de humanidade!

Hoje é 17 de Janeiro de 2007. Quanto a este assunto, daqui a um ano falamos.


terça-feira, janeiro 16, 2007

Madrid, te quiero mucho


Gosto imenso de Espanha, de tudo o que nos oferece a terra de Cervantes, Unamuno, Garcia Lorca, Goya e tantos outros que contribuíram com o seu testemunho de vida para que este País seja sempre uma referência intemporal; passado, presente e futuro.




Todos os anos, por uma vez que seja, atravesso a fronteira sem olhar para trás, para me deliciar nas praias quentes da Andaluzia, maravilhar-me com as paisagens doces da Galiza, admirar-me com o poder empreendedor das gentes da Catalunha e do País Basco e finalmente ver, estar, viver Madrid.

Madrid é seguramente a única cidade em todo o Mundo que eu trocaria de bom grado por Lisboa, por tudo, mesmo sabendo que o mar me faria percorrer distâncias superiores a 200 quilómetros.

Não me importava de por lá vaguear nas noites quentes ou frias, no meio das copas e bocadillos desde a Praça Maior a Cusco, assistir ao Sabina & Cia num daqueles pequenos teatros tão ao meu gosto e que inundam esta cidade de sonho e encanto.
Berrar a pulmões abertos no Vicente Calderon, pelo Atléti.
E mais, muito mais……………………………………..!
Tudo o que uma cidade feliz como Madrid pode oferecer!

Como diz Sabina; nos sobran los motivos y amores que matan nunca mueren.







































quarta-feira, janeiro 10, 2007

DE MOCA AFIADA

Aí está!
De moca afiada para a aquilo que melhor sabem fazer; bombardear, arrasar, invadir e matar.
E tudo sob a capa dos direitos humanos e da necessidade de impor aquilo que dizem ser a “democracia ocidental”
Enfim; todos sabemos muito bem as razões e não tenho vagar para repetir tudo aquilo que está dito e redito.

Para Bush não lhe custa nada enviar para o atoleiro do Iraque, mais vinte mil homens que desgraçadamente vão sofrer na pele o resultado da ignorância e as vistas curtas de um homem que vai passar à história como o presidente (???) mais irresponsável e ignorante que os EUA alguma vez tiveram.

Perdeu 3000 americanos.
Iraquianos já vão em 20.000 mortos.
Que siga a dança de sangue para alimentar estes malditos vampiros.

Entretanto Israel prepara-se para fazer aquilo que muito bem sabe e faz: o papel sujo. Bombardear alvos civis, matar à revelia, estropiar, etc, etc são atitudes que lhes cai muito bem. Aprederam bem com tempos passados.
Perfeito papel de mafiosos, mercenário e assassinos. Na perfeição e a EUROPA a assistir como de costume, impotente, a assobiar para o ar e a olhar para o lado.
Desta vez os Iranianos que se cuidem.

Bush com a derrota no Iraque a bater-lhe à porta e sem capacidade para impor a sua “democracia” onde quer mandar, espera que os sionistas correspondam com os seus deveres ao pagamento anual que o OGE Americano lhes concede para poderem subsistir numa terra que há quase 60 anos ocupam ilegalmente: são só 4 mil milhões de dollars.

Tanto num como no outro caso anseio e espero que nada lhes corra bem. E talvez tenhamos algumas agradáveis surpresas.

A perder, vamos ser todos nós com mais uma aventura irresponsável contra a humanidade preconizada por estes rambos sem escrúpulos.

Por cá, nada mexe; só telenovelas, talk shows, contestações sociais da treta, despedimentos de trabalhadores, o atraso nacional a andar para a frente, a cretinice das televisões e as prosas do nosso bem conhecido e anormal José Manuel Fernandes do jornal Público.
Parafraseando esta ignóbil criatura: que pífios seres somos nós!








domingo, janeiro 07, 2007

Fantasmas

Com esta caça às bruxas que nos nossos dias se vulgarizou por parte de diversas entidades de prestimosos e píos princípios “humanos”, talvez ainda possa ter a esperança de um dia ver o Bush ser chamado a um Tribunal Internacional Mundial para ser julgado e condenado por crimes contra a humanidade (Iraque, Afeganistão, possivelmente Irão, etc e mais o que se verá).
Cabe-me o direito de assim pensar a partir do momento que, não havendo mais nada para escrever e procurar por parte da intelligentsia dos média e de bolorentos pesquisadores de sótão, se acusar a toda a hora indivíduos por “crimes do passados” e militantes de “pecaminosas organismos” de tempos idos.

Claro que é fácil compreender que falo na estúpida perseguição ao Arcebispo de Varsóvia Stalislaw Wielgus por ter pertencido a organismos políticos do regime vigente na Polónia na era comunista.

Tal como Günter Grass e Saramago (por razões políticas opostas, note-se), o Arcebispo de Varsóvia torna-se mais uma vítima dos ratos da história.

Outros tantos já foram “notificados” e obrigatoriamente têm vindo a assistir ao enxovalhar do seu nome e da sua vida passada fossem as suas tendências de meninice ou juventude ensombradas por ditaduras fascistas, nazis, nacionalistas ou comunistas.

Temos então os “puros” e “democratas impolutos” que procuram num afã nunca visto histórias que fizeram da humanidade aquilo que ela hoje é; um exemplo muito pouco humano de sociedade!

Todos fomos culpados, todos contribuímos e continuamos a contribuir para que os fossos da desigualdade sócio económica e a diferença entre ricos e pobres seja hoje maior do que há vinte, trinta ou quarenta anos.
Então para quê isto? Para quê esta perseguição fora de tempo?

Paira sobre nós o fantasma de Joseph Raymond McCarthy!








quarta-feira, janeiro 03, 2007

PORQUÊ??????


Não posso acreditar no que vejo através da TV.

A pouco mais de 20 metros de distância da praia morrem três pescadores. Perante a vista de inúmeras testemunhas e perante a ausência de socorro que, como habitualmente em Portugal, tarda em chegar.

Em tudo este miserável País tarda em chegar. Em tudo este miserável País é desleixado. Em tudo este miserável País tem de entrar em estado de choque devido às constantes asneiras que faz e ás atitudes estúpidas que as suas gentes tomam.

E nunca há culpados:
A Marinha não é culpada porque não tem equipamento apropriado.
A aviação não é culpada porque para além de não ter equipamento “está longe”.
Os bombeiros não são culpados porque para além de não ter equipamento não é função deles actuar no mar mas sim nos incêndios (e mal digo eu), etc, etc.

Nem sequer o cabo de aço aplicado para rebocar o pesqueiro para terra era o apropriado e “óh tragédia Lusitana”, rebentou!

Tudo a alimentar um cenário de angústia tão ao gosto das televisões da nossa ignorância.

Até os pescadores são culpados porque num País normal, minimamente inteligente e cumpridor de regras mínimas de segurança, estariam com coletes salva vida e não se arriscariam a pescar robalos junto à rebentação.
Que raio está definido nas leis que não o devem fazer.

E agora? Agora vem aquela bem portuguesa maneira de abanar os ombros e enviar as responsabilidades para cima de outrem que nem nós próprios sabemos quem poderá ser.

Entristece-me este País. Entristece-me este povo.

E é só uma questão de método, de organização e de respeito para consigo próprio.

segunda-feira, janeiro 01, 2007

BOM ANO DE 2007




Desejos de um Bom Ano Novo a todos.
Para nós Ocidentais, ou para aqueles que em todo o Planeta Terra comungam desta premissa, que 2007 possa nestes momentos iniciais do mês de Janeiro levar-nos a prever que as coisas vão mudar e devem mudar para melhor.
Lembremos o ano velho e o que de muito mau passou. Foi dos piores exemplos que jamais a Humanidade deveria seguir.
Procuremos cada um de nós contribuir diariamente para a salvação do Planeta, nem que seja com a alegria de ouvir os pássaros da manhã a cantar, como eu ouço no preciso momento em que escrevo.

A todos um BOM ANO DE 2007